Domingo
22 de Setembro de 2019 - 

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,17 4,17
EURO 4,59 4,59

Relatório aponta perfil da diversidade de raça e gênero dos servidores do TJMS

O Comitê de Gênero, Raça e Diversidade ouviu o servidor. Para isso, foi elaborado um questionário para colher dados de servidores com a intenção de promover a igualdade de gênero, raça, orientação sexual, identidade de gênero e a inclusão de pessoas com deficiência. O objetivo da ação é valorizar e garantir um ambiente de trabalho adequado, trazendo mais qualidade de vida aos colaboradores do Judiciário. E agora foi disponibilizado o relatório final, que define o perfil da persidade de raça e gênero dos servidores do Poder Judiciário de MS. No relatório está a composição por sexo, raça ou cor, faixa etária, níveis hierárquicos, número de servidores com deficiência e LGBTQIA+ resultante da pesquisa, além de dados colhidos no Sistema de Gestão Pessoal, gerados por meio do Business Intelligence, pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TJMS, em 31 de maio de 2019. Sobre a composição por sexo, as mulheres predominam no Poder Judiciário - são 58,02% do total de servidores. E elas são maioria tanto em primeira quanto em segunda instância. O sexo feminino também ocupa 61% do total de servidores no quesito de níveis hierárquicos. Para a composição por cor ou raça, o número de servidores que se auto declarou branco é expressiva: 61,15%; logo depois vem os que se auto declararam pardos, com 23,43%; e 9,01% não souberam informar sua cor ou raça. Por fim, apenas 2,95% dos servidores se auto declararam negros. Em relação a faixa etária, a maior parte dos servidores tem menos de 35 anos. As pesquisas foram feitas com menores de 35 anos, entre 36 e 45, depois 46 e 55, 56 e 65 e, além de servidores com mais de 65 anos, e o resultado foi decrescente conforme diminui a idade. O quesito pessoas com deficiência também foi avaliado e o Poder Judiciário atualmente tem 40 servidores com deficiência. São 17 homens e 23 mulheres. Detalhes – No levantamento realizado por meio da pesquisa, 1.279 servidores participaram. Notou-se que a maioria dos respondentes obteve facilidade para se identificar enquanto Identidade de Gênero e Orientação Sexual. Sobre a identidade de gênero, 92% colocaram Cisgênero, 3% não-binário, 3% transgênero e 0,47% Transgênero. E para orientação sexual, 91% colocou heterossexual, 6% bissexual e 2% homossexual. No fim da pesquisa, o Comitê de Gênero, Raça e Diversidade identificou uma expressiva quantidade de respondentes que possuem dúvidas quanto às nomenclaturas utilizadas no formulário, nas perguntas qualitativas surgiram alguns questionamentos como: “o que é cisgênero ?”, “Nem sei o que significa esse termo”. Conheça – O Comitê de Gênero, Raça e Diversidade do TJMS foi criado no dia 7 de agosto de 2018 e tem a missão de identificar problemas e propor ações de melhorias e igualdade no ambiente de trabalho, tanto em aspectos físicos, sociais, psicológicos e organizacionais. O Comitê é composto por um desembargador coordenador, sendo atualmente o Des. Odemilson Roberto Castro Fassa, duas magistradas indicadas pela Amamsul, juízas Liliana de Oliveira Monteiro e Helena Alice Machado Coelho; um representante da Direção-Geral, um da Coordenadoria Estadual da Mulher do TJMS, um da Secretaria de Comunicação, um da Secretaria de Gestão de Pessoal, e os membros eleitos, por votação secreta, pelos servidores do Poder Judiciário, sendo uma servidora mulher, um servidor negro, um servidor com deficiência, um servidor LGBTQIA+ e um servidor idoso (ativo ou inativo).
10/09/2019 (00:00)

Contate-nos

Diego Brito Advocacia & Consultoria

Rua Esso  334
-  Jardim América
 -  Campo Grande / MS
-  CEP: 79080-070
+55 (67) 3201-9742
Visitas no site:  225039
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.